Crônicas de uma GP: O Tabu que cerca o Mundo Swing!

Por: Suzanna Prado
www.suzannaprado.com
Twitter @suzannaprado_GP
Cel 11 - 9843 6767

Sou swinguer há mais de 15 anos, iniciei com um namorado por curiosidade, fantasia de ambos.

A maioria das pessoas acham que um Clube de Swing é uma terra de ninguém. Errado!

Existem regras, e os participantes são muito tranqüilos e respeitam a privacidade de cada indivíduo que ali está.

Era a primeira vez dele, tremia da cabeça aos pés. Tratei de tranquiliza-lo, fomos dar uma volta em todos os ambientes do Clube.

Assim ele se sentia mais a vontade e também excitado com os gemidos, as leves passadas de mãos - consentidas - evidentemente, o cheiro de sexo no ar!

Tudo aquilo o deixou num frisson de desejo e ao mesmo tempo euforia, sem saber o que fazer, afinal o tão esperado fetiche estava por ser realizado e ele ali, notoriamente perdido no tempo e nas emoções.

Um conflito e mistura de sentimento e sensações, o desejo com o proibido.
O devo realizar meus instintos e dar vazão aos meus sentimentos mais primitivos, ou aceitar o que a sociedade sempre me impôs como "correto"?!

Sua mão estava gelada e trêmula, eu o segurei firme, dei-lhe um beijo e encaminhei até uma cabine reservada. Ali éramos apenas nós dois. Fechei a porta. Me despi. Ficando apenas com um espartilho preto. Com olhos fixos nele.

Comecei a desabotoar sua camisa lentamente, junto com meus lábios que tocam seu dorso que se demonstravam bem delineados.

Ele me empurrou contra a parede e disse baixinho no meu ouvido - dessa vez eu terei o comando - aquilo me deu um misto de susto e adrenalina ao mesmo tempo.

Não estou acostumada a perder o rumo da situação. Mas ao mesmo tempo me deixou arrepiada de desejo, esfregou sua barba em minha nuca e foi descendo em minhas costas.
Quando chegou em minha bunda me empurrou com força contra o sofá enfiando toda sua boca em mim, aquilo me enlouquecia e me deixava sem fôlego.

Tentei me virar, ele me segurou colocou o preservativo como num passe de mágica, e me possuiu ali, entregue a ele! Não consegui nem me mexer tamanha era sua fome de me possuir, gozei com uma adrenalina estonteante.

Ele parou sem motivo aparente e me disse - agora você pode me conduzir ao swing - eu sorria de satisfação e prazer.

Fomos a sala de casais e nos fartamos com um casal maravilhoso, uma química deliciosa, ele já estava solto, morrendo de tesão pois já havia me devorado e os hormônios estavam explodindo.

O casal era agradável, simpático, a química fluiu naturalmente, muitas mãos aqui e ali, bocas lambidas e sugadas.
Todos se fartaram até suar com os cabelos pingando de tanto desejo realizado naquela salinha tão pequena.

Refeitos.
Fomos ao bar, uma água para hidratar o corpo, recuperar o fôlego.

Demos mais uma volta, olhares aqui e ali. Uma passada de mão, uma brincadeira. Porém estávamos satisfeitos!

Resolvemos que por aquela noite já era hora de irmos embora.
Fomos felizes e cansados, mas um cansaço prazeroso! Daqueles que nos faz muitíssimo bem.

Ele me deixou de volta em meu apartamento, agradeceu pela experiência única.
Um beijo longo.
Um sorriso de satisfação no rosto.
Eu? Dormi como um anjo.
Swing..... É sempre swing! Maravilhoso!!! 💝

Veja também