[Crônicas de uma GP] Ménage : Fetiche do Corno

A fantasia de me ver possuída por um estranho era antiga. Porém só era presente em seu imaginário.

Semanalmente ele tocava nesse assunto e o tesão só aumentava a cada dia.
Finalmente o momento de me compartilhar com um macho estava prestes a se tornar real.

Convidei um macho negro, dotado, jovem, viril, alto, forte, exatamente como ele havia me pedido.

Chegou o dia, eles estavam ansiosos, o corno sentia a boca seca, coração palpitando.
Eu, estava feliz e radiante. Tomei um banho demorado, cuidei da depilação, esfoliante para deixar a pele macia e perfumada!

Pedi ao corno para escolher uma lingerie bem sexy e provocante para ele se deliciar na sensualidade que esse pedacinho de pano produz: nas mulheres, nos sentimos poderosas, nos homens, a imaginação vai longe.
O nosso macho chegou, enfiando um beijo suculento me tirando o fôlego. Meu corno vendo aquela cena, já ficou ruborizado de tesão.

O corno nos serviu um belo “frisante”, continuamos a nos beijar, ele passava aos mãos grandes pelo meu corpo.
Eu notava o corno sempre nos observando e cada vez mais excitado.

Nos direcionamos ao quarto, fui sutilmente colocada em cima dos lençóis brancos, macio, cheirosos.
Ao mesmo tempo que sentia mãos percorrendo minha pele, sentia bocas úmidas e quentes me degustando.

Meu negro lindo colocou meus seios dentre suas mãos gigantes e começou a lamber e mordiscar. Intercalando dente/lambida.
Meu corno foi ao seu local preferido, no meio das minhas pernas. Me lambia de forma suculenta.

Nosso tesão atingira o ápice. Precisávamos nos possuir. Foi exatamente o que fiz. Pedi ao corno para colocar o preservativo em nosso convidado, ele prontamente fez.

Sentei naquele homem bem devagar, sentindo cada pedacinho daquele membro que pulsava de tesão. As veias saltadas prontas a explodir de prazer.
Meu corno veio me beijar olhando nos meus olhos, minha felicidade e tesão era refletida em meu rosto.

Permaneci sentada cavalgando e aumentando o ritmo. Minha respiração estava ofegante quando meu corno veio lamber minha bunda. Era exatamente esse o momento que eu aguardava ansiosamente.

Precisava ser possuída por aqueles dois homens.
Pedi para eles trocarem de posição, deixei o corno em baixo e falei para aquele ébano possuir minha traseira com força. Prontamente fui atendida.

Meus gemidos pareciam uivos. Sentir preenchida, o peso daquele homem gemendo e suando em cima de mim, o corno não aguentou a pressão do excitamento e logo atingira o ápice.

Continuei de 4 servindo minha traseira aquele homem que me deixava alucinada. A pele estava arrepiada e grudada no corpo dele. Ele cruzava os braços longos em volto do meu corpo alcançando meus seios. Apertava. Eu gemia languidamente.

Meu prazer estava prestes a explodir quando pedi força! Foi o suficiente para nós dois sentirmos um calor indescritível e atingirmos o clímax juntos.

Quando eu estava gozando olhei bem no rosto do safado do meu corno. A satisfação dele era tal qual a minha.
Nos jogamos na cama os 3 entrelaçados e plenos. Satisfeitos pelo prazer mútuo.

Permanecemos em silêncio, apenas o som de nossas respirações. As mãos percorriam os corpos.
Ficamos ali até cochilarmos de exaustão.
O cheiro de tesão e sexo permanecera no ar.

Por: Suzanna Prado
www.suzannaprado.com
Twitter @suzannaprado_gp
Cel 11 – 98430 6767

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*
*